Retrospectiva 2016

Bom, digamos que tenha sido um ano horrível pra muita gente, inclusive pra mim. Apesar de achar bastante errado falar isso, afinal tô aqui viva, ao lado de pessoas que amo, aprendo lições a cada dia e tô cheia de saúde, e era isso que deveria importar, apenas. Mas tem os tais complementos da vida…
Nesse ano eu aprendi que a vida passa e muito rápido, cabe a mim querer aproveitar cada minuto ou não. A frase que mais ouvi é “O importante é a lição que se tira.”, e digo com propriedade que é mentira, o que importa nessa história toda são as pessoas, as risadas, as lembranças e os erros, as lições só fazem parte do que se leva na mala, afinal estamos todos em uma viagem.

E aí vim a aprender que não importa o quanto você ame alguém, se te faz mal não vale a pena. Guardei comigo que não devemos insistir com algo ou com alguém que nunca vai completar, quando as peças estão trocadas o quebra cabeça não encaixa. Devemos, mesmo, manter os amigos por perto e o que falam por aí que os inimigos devem estar ainda mais perto é pura enganação, isso só vai atrair coisas ruins, ao teu lado devem estar somente seus amigos e a sua família. Em terceiro aprendi que nunca, jamais, em hipótese alguma, dê uma segunda chance para alguém que já fez tudo desmoronar, as possibilidades dele não tentar te derrubar de novo são mínimas. Aprendi também que não se deve desistir de nada por insegurança, medo e que por mais que os outros tentem fazer sua cabeça você deve continuar firme lutando pelo que você acredita. Em quinto lugar aprendi que os nossos melhores amigos podem surgir dos lugares em que a gente menos imagina e que às vezes eles são as pessoas que você menos gostava. Aprendi que viver é realmente a coisa mais intensa, difícil e prazerosa que tem, que não se deve esperar que o tempo cure as feridas, pois ele não cura nada, é você que tem que levantar e ir atrás do remédio certo. Aprendi, aliás, tive certeza, que a pessoa certa não existe, que quando você está cansado de algo tem que fazer isso mudar, nada muda sozinho, aprendi que não tem essa de demonstrar demais, viver demais, gargalhar demais, dramatizar demais, de ser quem é demais, você precisa primeiro acreditar em você e depois lutar por tudo que acha que vale a pena. Percebi e muito que nem tudo da certo, mas é quando dá errado que a gente aprende, e às vezes precisa dar muito errado pra dar certo. Eu aprendi que só vou entender o porquê de certas coisas  quando chegar ao final e que ainda é muito cedo para eu ver isso, até porque não cheguei nem na metade de tudo, e espero estar bem longe. Aprendi muitas coisas que nem se eu tentasse iria conseguir dizer, coisas que nunca vou esquecer, mas acima de tudo aprendi que antes de qualquer coisa, se ame.

Tudo o que eu queria era ter a pureza e a inocência de criança pra sempre, porque de tudo na vida eu só tenho certeza que ser criança vale a pena, que amar vale a pena, que sorrir vale a pena, que estar com nossos amigos vale muito a pena, que se dar segundas e terceiras chances, também, vale a pena.
Que com isso tudo eu venha a aprender muito mais com 2017, que dê frio na barriga a cada decisão, que as borboletas nunca deixem de saltar no meu estômago, que a vontade e ansiedade de viver a vida nunca cessem, que eu faça novos amigos e aqueles que já são se aproximem ainda mais, que a insegurança, o medo e a indecisão não me atrapalhe em nada e que eu viva sempre com a alegria de uma criança.

Vai! Como a menina dos teus sonhos.

Essa semana foi péssima, não que você se importe, até porque ninguém tem ligado muito ultimamente. Todos os curativos que tampavam as minhas feridas soltaram, eu devia ter cuidado melhor desses machucados que a vida já me deu, mas a gente sempre espera por alguém que vá fazer os curativos todo fim de tarde até cicratrizarem, mas esse alguém nunca apareceu e a culpa foi minha. É engraçado como dói a falta de tudo o que a gente nunca viveu. É isso que dá ficar economizando pra comprar um amor de uma esquina qualquer.
Na vida ninguém cura teus arranhões, então acho melhor você levantar do chão, sacudir a poeira e olhar pra frente, chega de chorar por quem nunca valeu a pena, chega de implorar por um amor de camelô, tudo tem a hora certa, não adianta ficar lendo seu horóscopo pra saber se na próxima fase da lua o seu príncipe vai aparecer, pois não, ele não vai! E talvez nem no próximo mês, talvez ele cruze a esquina com você justamente naquele dia em que o astrólogo disse pra você nem sair de casa, não importa, ele vem, mas você tem que estar curada desses caras que nunca quiseram nada com nada, que insistiram em reduzir seus sonhos aos deles. Fecha esse coração tão pequeno e tão cheio de dramas, mas não tranque, limpe essa bagunça, coma brigadeiro, liga o som, cante para espantar os males, arruma os curativos. Aprenda de uma vez por todas que se não foi é porque não era pra ser, pense e repense muito bem antes de dizer que era amor, não era, se tivesse sido ele não teria ido com a primeira que apareceu.
Tudo bem que ele foi embora, e isso dói, mas o mundo não acabou, para de tentar encontrar sua felicidade nos braços dos outros, não me importa se te disseram que é impossível ser feliz sozinho, eu estou te dizendo que não é, e estou te mandando ir. Ser. Hoje. Agora.

Para o ex melhor amigo

Como andam as coisas por aí? Você continua achando que sua mãe pega no seu pé? Ela continua te chamando pelo nome apesar de todos te chamarem pelo apelido? E a academia, está levando a sério? Você já esqueceu aquela menina gata que não pegou e se arrepende por isso? Fiquei sabendo que cê mudou de melhor amiga, ela parece ser uma garota legal, mas essa amizade é verdadeira? Vi que você entrou em um colégio técnico, quis curtir a foto, mas achei melhor deixar pra lá, por mais feliz que eu tenha ficado com a sua vitória não tinha o porquê te dizer isso, não é!? Bem, por aqui tudo continua na mesma, quer dizer, algumas coisas mudaram, nesse meio tempo eu perdi alguns quilos e realizei um sonho, aderi aos cabelos curtos, economizei no creme, como você tanto insistia. Também troquei de número, ganhei chocolates e comecei assistir séries. Larguei o boy e parei de beber refrigerante. Você sabia que viver sem refrigerante prolonga a vida? Nem foi uma mudança difícil, eu nunca gostei muito da sensação do gás no estômago, cê sabe. Não sabe?

Desde que você foi embora eu comecei a pensar na possibilidade de fazer aula de canto que você tanto dizia, já está quase tudo certo só falta arrumar tempo. Mudei de prato de comida preferido e comecei a ouvir as mesmas músicas que você ouvia. E até comecei a ver certa graça nelas, só não sei te dizer se eu realmente comecei a gostar desse tipo de música ou se foi o jeito que eu arrumei pra continuar próxima da nossa amizade. Desde que você foi embora eu passei a engolir o choro com dois, porque não tinha mais o amigo pra me dizer que ia ficar tudo bem e eu precisava ser forte por mim e me falava isso brincando e sorrindo o que sempre me impressionou em você. Eu aprendi a ter cuidado com os que estão mais próximo, fiquei mais independente e comecei a ter medo de criar laços, acho que a sua fuga me causou certas marcas. Também assisti o show completo daquele cantor internacional que você adora, até que eu decorei algumas músicas e me dei conta de que isso não ia trazer o que a gente foi de volta. Não importa o quanto eu acompanhe sua vida e faça o que você gostava de fazer, a nossa amizade acabou e nada vai mudar isso. Eu não sei por que você foi embora, mas eu sei que a sua ausência doeu todos os dias em que eu não tive você pra rir comigo.
Talvez tenham te enganado com alguma mentira e você tenha acreditado em alguma dessas histórias que as pessoas inventam pra machucar os outros, talvez eu tenha feito algo que te chateou, dito alguma coisa que eu não deveria ter dito ou sei lá, sabe? Talvez você só tenha cansado da nossa amizade. As pessoas cansam do que não tem importância. Talvez a gente não tivesse. Eu não sei e nunca vou saber, porque você só foi, como se todos aqueles segredos e todas aquelas promessas e todos aqueles áudios de 10 minutos no WhatsApp não tivessem tido importância. Como se todos os anos pudessem ser apagados de um dia para o outro. Você nem se importou se eu conseguiria me virar sem ter sua mão pra segurar quando o mundo despencasse. Cê consegue imaginar quantas vezes eu quis saber se tava tudo bem? Quantas vezes eu quis te ligar pra falar que por aqui não tava e que eu precisava do meu melhor amigo comigo? Quantos dias eu perdi olhando suas fotos e sofrendo por não me encaixar em nenhuma delas? Eu acho que não, mas eu te digo, mesmo que hoje não faça mais diferença, eu te digo pra que você saiba que eu esperava um pouco mais de você.
Eu até queria saber se você continua fazendo seus raps e rimas fodas e se você curou a mania de quando está triste sorrir (não, espera, isso é uma dádiva!), eu até queria saber quem é a galera com quem você tem saído e se cê ainda dança Anitta melhor que eu, eu até queria saber se você também sentiu minha falta, se começou a beber e se pensou em me desejar felicidades no meu aniversário. Eu até queria saber um monte de coisas, mas isso não mudaria o que aconteceu. Isso não muda que nada mais está igual. Poderia estar se você tivesse ficado, se você tivesse dito que tinha algo errado e que a gente precisava conversar.

Poderia estar se você tivesse visto minha vida mudar, se tivesse acompanhado todas essas mudanças comigo e deixado que eu acompanhasse as suas com você, mas cê foi embora e tudo bem, algumas coisas vão pra que outras venham e hoje eu tenho um novo/velho melhor amigo, um novo corte de cabelo e uma nova visão de mundo. Hoje eu tenho uma vida diferente que ficou cheia demais pra sobrar espaço pra sentir saudades da nossa amizade.

Amor…

Acho que já perceberam que gosto de títulos subentendidos. Não sei porque mas sempre é assim, talvez seja por não ter criatividade para escrever uma coisa tão pequena, porque grande, ah! pra isso tenho de sobra.

Bom, o que é amor? Olha, sinceramente, eu não sei nada sobre ele, cada dia que acordo e saiu no portão da minha casa e me deparo com um casal de namorados, percebo que não sei nada sobre esse sentimento que é capaz de mudar tantas e tantas coisas, como dizem. Me pergunto se amor é quando olho pra minha mãe e penso o quanto ela se esforça para me fazer a pessoa mais feliz do mundo, ou se é quando converso com um amigo e só de olhar nos olhos dele já sabemos o que se passa nos pensamentos.

Hoje vi um casal de velhinhos sentados no banco da praça, e não, eles não estavam nem um pouco preocupados com pensamentos, eles estavam vivendo. Ela, uma senhora, provavelmente, mais velha do que ele, rindo sem parar, de tudo o que passa a sua frente, doente coitada, e ele, a pessoa mais paciente que já vi, os olhares apaixonantes que um lançava ao outro era de se emocionar, meus olhos encheram d ‘ água pensando no quão puro e digno aquilo era, um a companhia do outro, um a felicidade do outro. E me digam: isso é amor? Um olhar singelo, um sorriso transparente, um carinho que exala, aquela coisa do “para sempre” existia ali, era visível. Não igual a conto de fadas, porque não existe, ainda mais mágico,  não era história e nem música ‘do banco da praça’, era uma ternura de sentimentos. Se é amor? Se não for me presente outra coisa semelhante.

Naquele momento me perguntei se um dia viveria isso. Sim, na altura dos meus quase 16 anos me imagino viver um história assim, que emociona quem vê, que faz uma menina sentir dentro de si a felicidade que ali se encontra. E depois disso, passei o dia mais feliz…

Vejo ultimamente que o que falta nas pessoas é ser mais humano. Pensar, amar, dar espaço as outras pessoas. E a cada dia que passa as pessoas se tornam cada vez mais egoístas. Peço sempre que Deus não me permita ser assim. Tantas e tantas vezes estou no ônibus e vejo pessoas fingindo estarem dormindo só para não dar lugar a pessoas idosas. Espera ai, meu amigo, você também precisará de alguém para lhe estender a mão um dia, sabia? Como eu disse, você não é sozinho no mundo. E você também vai encontrar um ‘velhinho’ para rir junto com você no banco da praça, e eu também!

Agradeço grandemente a esse casal, por me proporcionar tamanha sabedoria por um sentimento gigantesco. E que sejam felizes para sempre!

O sentido da vida

Não vou me referir ao sentido da vida, mas ao sentido na vida. A verdade é que não existe a resposta misteriosa que pensamos existir. Ao passar dos meus tão poucos anos de vida, venho percebendo que não existe tal mistério e que vão sempre surgindo mais perguntas sobre a vida do que respostas.

Não devemos nos cansar para tentar encontrar o sentido da vida, mas sim nos esforçar para darmos sentido à nossa vida. Isso quer dizer que não existe uma resposta, mas sim uma decisão pessoal. Não há portanto mistério,  mas uma coleção de pequenas e grandes decisões que vão formando o sentido da nossa vida.

Vejo nós seres humanos racionais, com uma grande capacidade de evolução principalmente interior, gastando muito mal nossa energia de vida querendo alcançar um modelo de nós mesmos e investindo muito pouco dessa energia em nos aceitar como somos, com nossas luzes e sombras, medos que nos limitam para o desenvolvimento do nosso potencial.

Depois de muito passar por isso, e ver outras pessoas também, percebi que um dos principais temores do ser humano é ser ele mesmo,  sem desculpas nem justificativas. Nem sempre estamos acostumados a nos sentir responsáveis e protagonistas de nossas decisões e necessitamos dizer que os problemas de nossa infelicidade ou são dos outros, ou a falta de um determinado sapato ou de qualquer outra coisa. E quando finalmente somos capazes de nos libertar das culpas e dos medos, é quando sentimos que realmente crescemos. Nesse momento, quando nos encontramos mais satisfeitos,  o tempo passa mais rápido e nos sentimos mais próximos do outro, mais unidos, tudo fica mais bonito e até mesmo nós.

Pense nisso e me conte sua conclusão!

Beijinhos 💋

Primeiro post! BEM-VINDOS AO MEU BLOG :)

Olá,  pessoas! Nada mais justo que começar falando um pouco sobre mim e como começou tudo isso. Bom, amo fazer isso aqui: escrever. Expor meus sentimentos para um papel é a forma mais maravilhosa que encontrei de sentir-me leve, por isso até hoje tenho um diário e não tenho vergonha nenhuma em dizer isso, aliás o nome dele é Diário mesmo, criativo né?

E este blog será basicamente um diário, o qual venha conter  acontecimentos e histórias,  minhas ou fictícias, expor alguns pensamentos e sentimentos e muitas outras coisas.

Espero que gostem! 💜

Fiquem à vontade pra mandar sugestões, pedidos e críticas (com educação)!!

Beijinhos💋